Bem-vindo, Visitante
Nome do utilizador: Senha: Memorizar

TÓPICO: Integração de documentos duplicados

Integração de documentos duplicados 4 anos 4 meses atrás #6233

  • johnyept
  • Avatar de johnyept
  • DESLIGADO
  • Mensagens: 27
  • Obrigado recebido 8
Viva.

Recentemente tive que repor um backup da base de dados pois a mesma ficou corrompida, e ao repetir novamente as facturas já emitidas, como é óbvio o código de validação de 4 caracteres foi diferente. Tive o cuidado de iniciar as facturas com a mesma data/hora/minuto e repetir todos os dados nela inseridos, assim apenas o dito código saiu diferente.

As minhas dúvidas são duas:

- Haverá problemas se os clientes das 2 facturas repetidas inserirem o documento nas finanças com código de validação diferente do meu?
- Será possível saber o que é utilizado para gerar o código e como o mesmo é gerado, ou isso é uma dúvida demasiado técnica?

Agradeço desde já o esclarecimento e continuem com o bom trabalho!
Última Edição: 4 anos 4 meses atrás por johnyept.
O tópico foi bloqueado.

Integração de documentos duplicados 4 anos 4 meses atrás #6239

  • marcolopes
  • Avatar de marcolopes
  • DESLIGADO
  • Mensagens: 4928
  • Obrigado recebido 686
johnyept escreveu:
Recentemente tive que repor um backup da base de dados pois a mesma ficou corrompida, e ao repetir novamente as facturas já emitidas, como é óbvio o código de validação de 4 caracteres foi diferente. Tive o cuidado de iniciar as facturas com a mesma data/hora/minuto e repetir todos os dados nela inseridos, assim apenas o dito código saiu diferente.

As minhas dúvidas são duas:

- Haverá problemas se os clientes das 2 facturas repetidas inserirem o documento nas finanças com código de validação diferente do meu?
- Será possível saber o que é utilizado para gerar o código e como o mesmo é gerado, ou isso é uma dúvida demasiado técnica?


1) No ponto de vista do fisco, existe com certeza problema, embora seja "justificável". No caso de um cruzamento de dados ou fiscalização, poderá ser fácilmente constatado que as facturas EXISTEM e são em tudo idênticas, sem qualquer intenção de evasão fiscal. No entanto ESTE não é o procedimento correcto.

2) A informação técnica que procura é de acesso público, e pode ser encontrada aqui: info.portaldasfinancas.gov.pt/pt/apoio_c...ificacaoSoftware.htm

Portanto, a pergunta que se faz agora é: COMO pode um utilizador que se depara com documentos em falta na base de dados (devido a uma reposição de um backup) registar esses documentos na aplicação?

Diz o Oficio Circulado 50.001: info.portaldasfinancas.gov.pt/NR/rdonlyr...Circuladon_50001.pdf
2.5. Integração de documentos através de duplicados que não integram a cópia de segurança (backup), quando houver necessidade de reposição de dados por inoperacionalidade do sistema

2.5.1. Quando ocorrer uma situação de erro ou anomalia do programa, devem ser encerradas as séries em utilização e criadas novas, para prosseguir com a emissão de documentos, após a reposição da última cópia de segurança efetuada.
2.5.2. A integração de documentos emitidos e que não constam da cópia de segurança reposta, deve realizar-se no programa certificado, através dos duplicados desses documentos, em série específica anual e com numeração sequencial própria, iniciada no número 1.
2.5.3. Para este efeito será processado um novo documento do mesmo tipo do duplicado que recolha todos os elementos desse documento emitido, com observância dos requisitos definidos nos artigos 6.º e 7.º da Portaria 363/2010
.
2.5.4. Os campos aplicáveis relativos à origem do documento, devem ser preenchidos com o valor “M” respetivamente, o campo 4.1.4.2.5. – Origem do documento (SourceBilling) e o campo 4.2.3.2.5. –. Origem do documento (SourceBilling).
2.5.5. Nestes casos, no campo 4.1.4.4. – Chave de controlo (HashControl) ou no campo 4.2.3.4. Chave de controlo (HashControl) deve ser aposta a seguinte informação:
2.5.5.1. Número da versão da chave privada (1,2, etc.) e separado por um “-“ (hífen);
2.5.5.2. Registo sequencial dos seguintes elementos: a sigla constante do campo 4.1.4.7 ou do campo 4.2.3.7, conforme aplicável e que deve corresponder ao tipo de documento a recuperar através do duplicado, seguida da letra D; um espaço; a série desse documento; o carater “/”; o número desse documento. Exemplo: 1-FTD 2013A/00099.
2.5.6. Nestas séries de recuperação de dados, a data do documento corresponde à do duplicado do documento. É de todo o interesse que se crie dois campos distintos, de preenchimento obrigatório, sendo um para a identificação da série do duplicado e o outro para recolher o nº do duplicado. Desta forma evitar-se-á lapsos na recolha deste tipo de documentos designadamente da série. Pode-se criar tantas séries, quantas as existentes nos duplicados dos documentos ou apenas uma única.
2.5.7. Quando, por opção, houver necessidade de integrar outros duplicados de documentos, utilizarse-ão os campos aplicáveis e os procedimentos dos números anteriores.

O Colibri (versão Profissional) controla a "Integração de faturas ou documentos retificativos processadas manualmente em
impressos emitidos em tipografias autorizadas, nos casos de inoperacionalidade do programa"
de acordo com as regras especificas do Oficio (ponto 2.4), o que não acontece com o ponto 2.5. Este ponto é quase uma "novidade" que, embora faça todo o sentido, nunca foi claramente definida na legislação, e foi recentemente descrita de forma clara no dito oficio, como tal, o Colibri NÃO SUPORTA esta funcionalidade.
Marco Lopes
Gestor de projecto
Análise e Programação
Última Edição: 2 anos 8 meses atrás por marcolopes.
O tópico foi bloqueado.

Integração de documentos duplicados 2 anos 8 meses atrás #9384

  • marcolopes
  • Avatar de marcolopes
  • DESLIGADO
  • Mensagens: 4928
  • Obrigado recebido 686
Relembro a todos os utilizadores o disposto na Portaria 8632/2014, no que toca à Integração de documentos através de duplicados que não integram a cópia de segurança (backup), quando houver necessidade de reposição de dados por inoperacionalidade do sistema:

2.5.1 — Quando ocorrer uma situação de erro ou anomalia do programa, devem ser encerradas as séries em utilização e criadas novas, para prosseguir com a emissão de documentos, após a reposição da última cópia de segurança efetuada.

2.5.2 — A integração de documentos emitidos que não constam da cópia de segurança reposta, deve realizar-se no programa certificado, através dos duplicados desses documentos, em série específica anual e com numeração sequencial própria, iniciada no n.º 1.

2.5.3 — Para este efeito, será processado um novo documento do mesmo tipo do duplicado que recolha todos os elementos desse documento emitido, com observância dos requisitos definidos nos artigos 6.º e 7.º da Portaria 363/2010.

NOTA: Para este tipo de integração, deve ser criada uma SÉRIE PRÓPRIA, onde o tipo de INTEGRAÇÃO deverá ser definido como DUPLICADO. Caso não tenha esta configuração disponível na criação de SÉRIES de documentos, deve entrar em contacto com o nosso suporte técnico.
Marco Lopes
Gestor de projecto
Análise e Programação
Última Edição: 2 anos 2 meses atrás por marcolopes.
O tópico foi bloqueado.
Moderadores: marcolopes